Steve Lehman
Travail, Transformation, and Flow
CD PI Records 2009

Jonathan Finlayson (t)
Steve Lehman (sa)
Mark Shim (st)
Tim Albright (trb)
Jose Davila (tu)
Chris Dingman (vib)
Drew Gress (ctb)
Tyshawn Sorey (bat)

Para os que (como eu) pensam que a globalização estreitou até um corredor impossível a possibilidade das vanguardas se moverem (e não, não apenas no Jazz), "Travail, Transformation, and Flow" parece querer afirmar exactamente o contrário.
Não estamos realmente perante um disco de Free Jazz, como não estamos perante um disco de "música improvisada" (o que quer que isso seja), como não estamos perante um disco de música "experimental", mas diria que este CD vai muito mais além. Ainda que as classificações não importem muito aos músicos, "Travail..." é um disco de Jazz, mesmo se ele foi buscar muito da sua inspiração à música contemporânea. Lehman estudou com Anthony Braxton, influência que será óbvia na definição das estruturas; mas ele revela também a ascendência de Jackie McLean no timbre e na construção do discurso do saxofone, ou ainda o passado ao lado dos radicais M-Base na premência rítmica que atravessa o disco.
Este será porventura o mais audacioso trabalho de Lehman como compositor, catapultando-o para a linha da frente nesta categoria (ele que já era considerado um dos grandes do instrumento, conceptual e cerebral), e director, à frente de uma formação alargada mas ainda assim de composição relativamente clássica, de que tira o maior partido.
"Travail, Transformation, and Flow" é inequivocamente um dos grandes discos do ano, mas mais do que isso um disco inovador, atravessado como poucos pelo espírito de aventura que estava presente na vanguarda dos anos 70.

Texto originariamente publicado em Jazz 6/4 #2.