JazzLogical 30 Julho 2020

Diria que desde os anos 70 (do século passado) que não se observava uma semana de Julho com tão poucos concertos de Jazz. Ou outra coisa qualquer.

Enfim... tempos estranhos os que vivemos.

É por isso que é necessário apoiar os músicos e a arte, porque é arte que nos faz diferentes. E o Jazz ocupa (é a minha opinião) um lugar especial na arte contemporânea.

O Jazz influenciou toda a música ao longo do século XX e persiste com enorme força e autoridade no século XXI.

Em Portugal também. Essa autoridade sente-se nas múltiplas manifestações, por vezes apenas num instrumento, por vezes numa citação, mas nenhum músico sério pode ignorar o Jazz se ele for um músico.

O facto de a GDA e a RTP terem incluído este ano a categoria Jazz nos prémios é a constatação da força e da vitalidade do Jazz e do Jazz nacional, mesmo se, como disse João Mortágua, o Jazz quase não tem existência na rádio e na televisão e nos media (e a televisão pública, desculpem, não é diferente) mais interessada em promover a pimbalhice, com o argumento das audiências e de que estão a oferecer a cultura popular ao povo. Tem um nome: indigência.

E é por isso que é preciso também reconhecer que a GDA esteve bem em incluir a categoria Jazz (e a música clássica) nos prémios RTP. Parabéns à GDA.

E parabéns ao João Mortágua pelo prémio. João Mortágua merece, ele que é indiscutivelmente um dos mais importantes músicos nacionais, como saxofonista e como compositor. Diria que o disco que foi votado - «Dentro da Janela» - nem sequer é o melhor disco de João Mortágua. Mas é um grande disco e foi, em meu entender, o melhor disco de Jazz de 2019.

Parabéns, João! Parabéns aos restantes nomeados, André Sousa Machado, Filipe Raposo e Daniel Bernardes, e parabéns aos músicos que participaram no «Dentro da Janela». E parabéns ao Jazz também, porque o João Mortágua só pode ser o grande músico que é porque é o produto de muitos outros músicos, professores e escolas e dos amantes do Jazz que o estimulam a criar (e perdoem-me a imodéstia, mas ontem eu também me senti de parabéns).

Enfim, João Mortágua, músicos, Jazz, público, GDA e RTP, todos estamos de parabéns.


Esta semana começa o Jazz 2020, que é o novo Jazz em Agosto numa reformulação em tempos de pandemia. As grandes diferenças são o facto de o Jazz nacional ter sido privilegiado e um tímido alargar para Coimbra e Porto.

Não me vou alargar na política da direcção do festival (sobre isso em já escrevi de sobra em anos anteriores), mas gostaria de notar que alguns importantes projectos nacionais foram convocados, e gostaria de referir quatro dos, que são por mérito próprio, dos mais votados pela crítica nacional:
já amanhã (sex 31 Julho), o Coreto Porta-Jazz (com direcção de João Pedro Brandão), um projecto de grande erudição e modernidade, a que eu atribuí classificação máxima (*****) em crítica da altura para Analog (2017) e que deverá tocar temas desse disco e composições novas (Gulbenkian, sexta, 31 de Julho);
o João Mortágua «Dentro da Janela», melhor CD Nacional 2019 pela crítica nacional reunida em JazzLogical e ainda esta semana o prémio RTP para melhor disco de Jazz nacional (Gulbenkian, dom 9);
o TGB, o singular trio de tuba, guitarra e bateria de Sérgio Carolino, Mário Delgado e Alexandre Frazão; uma power band, que tanta toca Monk como Led Zeppelin, e inequivocamente um dos mais interessantes e poderosos grupos nacionais (Coimbra, sáb 8);
e ainda Daniel Bernardes & Drumming GP «Liturgy of the Birds»; um grupo e disco que revelou o jovem Daniel Bernardes como compositor (prémio JazzLogical para Músico Nacional Revelação). (Gulbenkian, sexta 7)

Nos destaques JazzLogical para o festival Jazz 2020 estão também (sábado 1 de Agosto), o Susana Santos Silva «Impermanence» (Gulbenkian, sáb 1);
e o André Rosinha Trio (Porta-Jazz, dom 9).

Diria que, com o Coreto e o João Mortágua, o Jazz 2020 começa e termina da melhor forma.

Outros concertos em Agenda Jazz.


Outro concertos da semana em destaque em JazzLogical é o Mário Laginha Trio no Jazz na Praça da Erva em Viana do Castelo, sábado 1 de Agosto.
E o mais resiliente dos grupos de Jazz nacionais dispensa apresentações.


Na próxima semana continua o Jazz 2020.

Hot Club de Portugal:

Pelas suas características, a sala do Hot Club na Praça da Alegria, vai continuar fechada ao público.
Pretendendo continuar no entanto a sua missão de divulgar o Jazz, o Hot Club programou uma série de concertos em live streaming que permitam também auxiliar os músicos que estão sem trabalho há três meses.
Os concertos terão lugar no palco do Hot Club, sempre em trio, e decorrerão entre as 22.00 e as 23.15.

Os concertos serão transmitidos através da plataforma Crowdcast (https://www.crowdcast.io/hotclubedeportugal)
em directo, e podem ser vistos por quem subscrever e pagar um bilhete (7,50 €), através do link de cada concerto.

Este link permanecerá activo durante alguns dias, apenas para quem pagou o acesso (os sócios do HCP com as quotas em dia terão acesso gratuito ao link.)

O próximo concerto do Hot Club acontecerá a 7 de Agosto.

Esta série de concertos teve início a 18 de Junho com o trio TGB (Sérgio Carolino, tuba; Mário Delgado, guitarras e Alexandre Frazão, bateria).
(Bilhete para dia 18:
https://www.crowdcast.io/e/tgb -
Bilhete para dia 19:
https://www.crowdcast.io/e/tgb-2

25 Junho - Yuri Daniel Trio “Northern Lights” (Diogo Vida, piano; Yuri Daniel, baixo eléctrico; Vicky Marques, bateria).
Bilhete para dia 25: https://www.crowdcast.io/e/yuri-daniel-trio-/register 

26 Junho - Desidério Lázaro Trio “Viagem ao Centro do Eu“ (Desidério Lázaro, saxofone tenor; Nelson Cascais, contrabaixo; Luís Candeias, bateria).
Bilhete para dia 26: https://www.crowdcast.io/e/desidrio-lzaro-trio--/register

2 de Julho - André Rosinha Trio “Árvore” (João Paulo Esteves da Silva, piano; André Rosinha, contrabaixo; Marcos Cavaleiro, bateria).
Bilhete para dia 2:  https://www.crowdcast.io/e/andr-rosinha-trio--rvore/register

3 de Julho - Sara Serpa & André Matos (Sara Serpa - voz, André Matos - guitarra + João Pereira - bateria)
Bilhete para dia 3:  https://www.crowdcast.io/e/sara-serpa--andr-matos/register

11 Julho – Nuno Ferreira Trio  (Nuno Ferreira - guitarra, Francisco Brito - contrabaixo, Joel Silva - bateria).
Bilhete para dia 11:  https://www.crowdcast.io/e/nuno-ferreira-trio/register

18 Julho - LiftOff - Duo (Jeffery Davis - vibrafone, Óscar Marcelino da Graça - piano).
Bilhete para dia 18: https://www.crowdcast.io/e/liftoff-duo/register

25 Julho (Sáb) – André Fernandes Trio (André Fernandes, g, Nelson Cascais, ctb, Diogo Alexandre, bat).
Bilhete para dia 25 (ticket for July, 25th ) https://www.crowdcast.io/e/andr-fernandes-trio/register


Para mais informações, podem consultar o site do Hot Clube, em: www.hcp.pt ou www.facebook.com/hotclubedeportugal.
Podem também visionar vídeos com excertos de concertos, workshops, entrevistas e outros, em: www.youtube.com/user/HCPJazz

Apoia os músicos, compra discos, procura nas redes sociais virtuais que têm estado bastante activas, segue os teus músicos, faz donativos.

Os músicos têm vindo a fazer por ti com a sua música. É a tua hora de retribuir.

Apoia o Jazz, porque a vida sem Jazz não tem graça.

Mais informação sobre concertos na Agenda Jazz.

 
 
 
 
 

Edições CD Nacionais 2020
Desidério Lázaro/ Luís Candeias
Unknow Road

Música inspirada em Interstellar Space”, de John Coltrane e Rashied Ali, respondendo ao desafio de Gonçalo Marques. Gravado ao vivo no Hot Club em 2019. Bateria e saxofone.

Desidério Lázaro (s)
Luís Candeias (bat)
Unknown Road

 

Outros CDs editados em 2020
RIP 2020
 
Nuno Gonçalves
Justiniano Canelhas
 
Annie Ross 1930 - 2020

Hot News 16, Abril 2020
(Hot Clube de Portugal)

A Hot News 16 é dedicada à memória de Manuel Jorge Veloso.

Pedidos para HCP

PRÉMIOS JAZZLOGICAL JAZZ DO ANO 2019

VOTANTES

Prémios Internacionais

CD do ano 2019 - Novidades

CD do ano 2019 - Históricos/ Reedições

Músico do ano 2019

Músico do ano 2019 Revelação

Acontecimento do ano 2019


VOTANTES

Prémios Nacionais

CD do ano 2019

Músico do ano 2019

Músico do ano 2019 Revelação

Acontecimento do ano 2019


Melhores concertos do ano 2019 – JazzLogical

(Votação: Leonel Santos)

Quotes

For me, when I think of formal training I don’t necessarily think of [being] in an institution. I think maybe sitting around a piano with Monk was equivalent, or as close as they could get to an institution.

Ambrose Akinmusire

ANGRA JAZZ 2019

(Textos de Paulo Barbosa e Leonel Santos)

FESTIVAL DE JAZZ ROBALO 2019

JAZZ NO PARQUE 2019

FUNCHAL JAZZ 2019

VALADO JAZZ 2019

FESTA DO JAZZ 2019

EUROPEAN JAZZ CONFERENCE 2018

 

 

Conferência «As Mulheres e o Jazz», 7 de Dezembro 2018, ISCTE, Lisboa, Leonel Santos

Integrada na Conferência Internacional
«Mulheres, Mundos do Trabalho e Cidadania – Diferentes Olhares, Outras Perspetivas»,
ISCTE 6 e 7 de Dezembro 2018

 

As mulheres e o Jazz

 

 

O gato escarninho

 

 

O Jazz nos livros em Portugal

8. Jazz Moderno

                 
 

Pedidos para a newsletter Agenda Jazz:

jazzlogical@gmail.com